25.10.16

Caso para a pena de morte

Histórias de um dos maiores inimigos da humanidade, o carro do ovo, em uma quase crônica do A Tarde.

12.10.16

Armengue oriental

Chabuduo: a centenária arte chinesa de fazer mal-feito.

9.10.16

Coca-Cola é isso aí

Você não deve se lembrar da sua primeira Coca-Cola, já que provavelmente foi bem cedo na infância. Já esse texto torna pública a experiência de beber a primeira Coca aos 24 anos.

7.10.16

Literatura portátil

Em 2003, eu comprei um Palm Zire com o propósito de ler alguns livros que achei na rede. Não era exatamente confortável, mas importar livros para Salvador não era exatamente fácil. Descobi que podia mandar o texto de sites para ele sem muito trabalho e viciei na leitura em telinhas - o que me era muito útil no tempo dos computadores divididos.

De lá para cá fiz alguns upgrades - dois Palms melhores, um Pocket PC - e hoje uso um iPad e um iPhone, com diversos programas de leitura (Pocket, PDF Reader, iBooks, Kindle e Chunky). Por isso sempre me questionei sobre os resultados de estudos sobre a leitura em tela e em papel. Acho os resultados exagerados ao apontarem as diferenças. Sempre me pareceu mais um caso dos hábitos e disposições dos leitores do que algo inerente aos dispositivos. (Claro, acho papel melhor em muitos aspectos, ou não compraria livros ainda.)

A experiência do jornalista Clive Thompson ao ler Guerra e Paz no celular ilumina alguns pontos.

Departamento de Aquisições

Falando em Flânerie

Five Fathoms, Everything But The Girl.

Os maiores enrolões

I once asked a talented and fairly famous colleague how he managed to regularly produce such highly regarded 8,000 word features. “Well,” he said, “first, I put it off for two or three weeks. Then I sit down to write. That’s when I get up and go clean the garage. After that, I go upstairs, and then I come back downstairs and complain to my wife for a couple of hours. Finally, but only after a couple more days have passed and I’m really freaking out about missing my deadline, I ultimately sit down and write.”